01/02/2017 - Quarta-Feira

Caso do Mês de Fevereiro

CASO DO MÊS - FEVEREIRO
Paciente masculino 45 anos veio ao pronto atendimento com queixa de cervicalgia há 01 dia, sem irradiação para os membros superiores e com dificuldade/restrição à movimentação. Nega história de trauma ou outros comemorativos.


Foi realizado ressonância magnética da região cervical com achados de discopatia e outros achados degenerativos nos corpos vertebrais e hérnias cervicais póstero-medianas que não apresentam relação com a queixa.

Além destes achados foram observadas calcificações na região pré-vertebral ao nível de C1/C2, mais exuberantes à esquerda associado a coleção líquida com hipersinal em T2 e hipossinal em T1 no espaço retrofaríngeo, que se estende de C2 a C5, medindo 6,5cm no eixo longitudinal 0,6cm de espessura máxima. O estudo foi complementado com RM e TC de cervical 17 dias após o primeiro estudo, sendo confirmado os focos cálcicos e não mais observada a coleção retrofaríngea supracitada.
Os achados de imagem são compatíveis com tendinite calcária pré-vertebral (tendinite calcária do Longus Colli),


TENDINITE CALCÁRIA

Apresentação Clinica

Os pacientes podem vir a apresentar sintomas debilitantes que não estão relacionados com o grau de calcificação observado na TC. Os sintomas desenvolvem-se de forma aguda e incluem dor no pescoço, febre, disfagia, odinofagia e redução do movimento do pescoço. Pode haver aumento de leucocitos e VHS.

Caracteristicas Radiograficas

Raio x e TC
Calcificações podem ser vistas nas radiografias, mas a modalidade de imagem preferida é a TC com contraste. Na TC, as calcificações dismorficas são tipicamente observadas nas fibras superiores dos tendões dos músculos longus colli (nível C1-C2). As fibras inferiores podem ser afetadas. Observam geralmente pequenos derrames retrofaríngeos e edema dos tecidos moles pré-vertebrais adjacentes. Aumento da área de derrame pode mudar o diagnóstico para um abscesso. Adenopatia e destruição óssea também deve sugerir diagnóstico alternativo.

RNM
A RM demonstrará o edema, mas não será tão eficiente com as calcificações.

Tratamento e Prognóstico
Normalmente o manejo com AINEs resolve o quadro dentro algumas semanas.

T2 Sagital

T2 Sagital (após 17 dias)

TC Sagital