04/01/2018 - Quinta-Feira

Caso do Mês de Janeiro 2018

Paciente feminina, 48 anos, com queixa de dor no andar superior do abdome e massa palpável.

Após alguns achados na TC de abdome, foi realizado RM de abdome superior, a qual teve o seguinte laudo:

Fígado de dimensões normais, contornos regulares e características de sinal preservadas, distribuição vascular anatômica.

Não foram caracterizadas lesões hepáticas focais ou de comportamento hipervascular.

Não há sinais e de dilatação das vias biliares intra e extra-hepáticas.

Vesícula biliar distendida, com conteúdo líquido homogêneo na ponderação T2.

Identificamos uma formação expansiva cística de configuração alongada e tortuosa, situada na interface entre o fundo gástrico, o contorno mais medial do baço, a crura diafragmática esquerda e a glândula adrenal deste lado. Esta lesão apresenta-se bem circunscrita, tem os contornos discretamente lobulados, e se caracteriza por alto sinal marcado na ponderação T2, hipossinal homogêneo em T1, parede finas e sem evidências de realce após contraste; há facilitação a livre difusão da água, o que corrobora o seu conteúdo cístico. Observamos indissociável contato com a parede gástrica no plano fúndico, que exibe, a este nível, um discreto abaulamento do seu contorno mucoso interno. O aspecto é uma lesão cística simples, sem critérios de agressiva e nesta projeção representa mais provavelmente um cisto de duplicação gástrico.

Baço homogêneo e com dimensões normais.

Pâncreas com dimensões e intensidade de sinal usuais.

Glândulas adrenais com configuração e dimensões anatômicas.

Rins tópicos, com dimensões normais e características de sinal conservadas. Espessura do parênquima preservada.

Não há sinais de dilatação dos sistemas coletores.

Aorta e veia cava inferior de topografia e calibre normais e intensidade de fluxo preservada.

Não há evidências de linfonodomegalias ou líquido livre no andar superior do abdome.

IMPRESSÃO DIAGNÓSTICA: Formação expansiva cística simples e sem critérios de suspeição situada em amplo contato com o fundo gástrico, mais provavelmente representando um cisto de duplicação gastrointestinal, de origem gástrica.

CISTO DE DUPLICAÇÃO GÁSTRICA

Um cisto de duplicação gástrica é um cisto de duplicação de origem congênita, raro, que afeta o estômago. Isso representa menos de 10% de todas as duplicações gastrointestinais. O sítio mais comum de cistos de duplicação do trato gastrointestinal é o íleo, seguido de esôfago, intestino grosso e jejuno.

EPIDEMIOLOGIA

As duplicações do estômago constituem cerca de 7% do total.

APRESENTAÇÃO CLÍNICA

As manifestações clínicas dependem da localização, tamanho e padrão da mucosa. Os sintomas geralmente aparecem antes de um ano de idade como obstrução abdominal superior, dor abdominal ou massa palpável.

PATOLOGIA

A duplicação gástrica tem algumas características específicas, como uma camada bem desenvolvida de músculo liso e está ligado a alguma parte do estômago compartilhando uma parede muscular comum e suprimento sanguíneo.

Os cistos de duplicação também podem conter tecido heterotópico que podem incluir: mucosa gástrica, tecido pancreático ectópico, tecido linfático e epitélio respiratório.

LOCALIZAÇÃO

A maioria são cistos esféricos não comunicantes e a curva maior é o local mais comum de sua ocorrência.


CARACTERÍSTICAS RADIOLÓGICAS

- RX ABDOME

A radiografia abdominal pode demonstrar uma massa que desloca as alças intestinais cheias de ar. Pode haver calcificação ocasional na parede dos cistos.

- ULTRASSONOGRAFIA

A ultrassonografia desempenha um papel importante nestes pacientes e muitos autores demonstraram que a combinação de uma camada mucosa interna ecogênica e uma camada muscular hipoecogênica externa, sugerem um cisto de duplicação.

- FLUOROSCOPIA

Um estudo de bário pode mostrar defeito de enchimento devido a uma compressão extrínseca dessas massas císticas.

- TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA

As varreduras de TC mostrarão uma massa cística de atenuação do fluido em contato próximo com o estômago.

- RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

A ressonância magnética demonstra características comuns aos cistos com características de sinal típicas. T1: sinal baixo, T2: sinal alto, T1 C + (Gd): a parede do cisto pode mostrar uma leve acentuação.

COMPLICAÇÕES

As complicações reconhecidas incluem: sangramento do trato gastrointestinal, perfuração gástrica e torção.

As complicações acima são prováveis se as duplicações de cistos contiverem mucosa gástrica ectópica (que ocorre em 20-50% das duplicações) ou tecido pancreático ectópico.


DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS

Os diagnósticos diferenciais de imagem incluem: pseudocisto pancreático e outros cistos de duplicação entérica.

Às vezes pode ser um desafio diferenciar-se o cisto de duplicação de uma lesão adrenal cística à esquerda.

Axial DWI

Axial Fiesta

Coronal Fiesta

Coronal T2